Sesab amplia público-alvo para vacinação contra a dengue na Bahia

Sesab amplia público-alvo para vacinação contra a dengue na Bahia

  • 21.Jun.2024 - 15h32

Em uma medida emergencial para evitar o desperdício de imunizantes, a Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que reúne gestores municipais e estadual de saúde, decidiu ampliar temporariamente a faixa etária para a vacinação contra a dengue. Desde a última sexta-feira (14), pessoas de 4 a 59 anos poderão se vacinar com os imunizantes que têm vencimento marcado para o dia 30 de junho de 2024. Anteriormente, o público-alvo era de 10 a 14 anos. A decisão foi tomada em resposta ao estoque remanescente de 6.727 doses, que estão concentradas principalmente em Itabuna, Jequié e Ilhéus, municípios que juntos somam 55% desse total. Ao todo, 36 municípios da Bahia sinalizaram a existência de doses com o mesmo vencimento. A secretária da Saúde do Estado da Bahia, Roberta Santana, faz um apelo aos municípios e à sociedade: “mesmo no período junino, vamos fazer um esforço adicional para zerar os estoques. O público-alvo foi ampliado e ainda temos nove dias. Incentivamos que os municípios montem postos em locais de grande fluxo, como rodoviárias, centros comerciais ou mesmo façam a busca ativa, pois são ações já realizadas anteriormente com resultados positivos”, ressalta. Ao todo, 125 municípios receberam 237.607 doses da vacina contra a Dengue, já tendo sido aplicadas 163.834 doses.

Cenário epidemiológico e ações estaduais

Em 2024, a Bahia registra 222.189 casos de Dengue, tendo 109 municípios em epidemia e 278 localidades em risco ou alerta. O Governo do Estado já investiu mais de R$ 21 milhões em ações relacionadas à assistência, aquisição de medicamentos e insumos, bem como equipamentos para agentes de endemias, capacitação de profissionais e uso do Ultra Baixo Volume (UBV) – também conhecido como “fumacê”, além de ações de conscientização da população.

Licores da agricultura familiar ampliam vendas durante o São João da Bahia

Licores da agricultura familiar ampliam vendas durante o São João da Bahia

  • 21.Jun.2024 - 11h59

Milho, amendoim, bolos, laranja e muitas outras comidas típicas estão presentes na mesa de baianos e baianas neste São João.  Além das tradicionais comidas típicas e danças folclóricas, uma tradição que ganha destaque é a produção artesanal de licores pela agricultura familiar, que dão um toque a mais de sabor e qualidade nos festejos juninos da capital e do interior da Bahia. Diretamente de Juazeiro, os licores Aromas da Caatinga, da Cooperativa Agropecuária Familiar de Massaroca e Região (Coofama), produzidos por mulheres da comunidade Curral Novo e Jacaré, têm como diferencial o umbu e tamarindo, frutas cultivadas de forma sustentável. “São mais de 10 anos de produção e, a cada ano, a produção é maior. Agora em 2024, estamos produzindo na unidade de beneficiamento de frutas até em dia de domingo para cumprir as encomendas. Nós vendemos os licores o ano inteiro, mas no São João, é tudo multiplicado”, celebrou a agricultora Clarice Evangelista. A unidade de beneficiamento de frutas foi construída por meio do projeto Pró-Semiárido, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com cofinanciamento do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida).  Licores de umbu, maracujá, maracujá-da-caatinga, jabuticaba, abacaxi e licuri. A diversidade marca a produção dos Licores Monte Sabores, produzidos pela Associação Comunitária dos Agricultores Familiares de Tapera, em Monte Santo. Segundo a agricultora Maria Cleonice dos Santos, os mercados da região já conhecem a qualidade desses licores. “O diferencial dos nossos licores é que eles são produzidos a partir das frutas nativas da região. Então, a nossa alegria é grande por estar comercializando esses licores pela Bahia”, disse Cleonice. Em Bom Jesus da Lapa, a Casa do Licor Formoso – Sítio Santa Rita já é reconhecido como tradicional na região. A produção é da agricultora Rita Teixeira, da Associação das Mulheres Campesinas de Serra do Ramalho e Região. Além do sabor dos licores de banana, pimenta, hibisco e rapadura, Rita destaca que agrega valor ao produto com o artesanato da fibra de bananeira. “Os licores são sem conservantes, produção própria e ainda faço capas e caixinhas para eles com a fibra de bananeira”, comenta Rita.

Inverno deve ter baixas temperaturas na Chapada Diamantina

Inverno deve ter baixas temperaturas na Chapada Diamantina

  • 21.Jun.2024 - 09h42

Com a chegada do inverno nesta quinta-feira (20), os brasileiros devem começar a tirar os casacos do armário. Apesar dos baianos não sentirem grandes mudanças climáticas como as que ocorrem no sul do país, com registros de geadas e temperaturas próximas do 0ºC, o clima também sofre alterações no estado. O calor dá espaço a temperaturas mais amenas e as ocorrências de chuvas são ainda mais frequentes. De acordo com a meteorologista do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), Mary Diniz, a maior influência dos ventos do sudoeste são uma característica dessa época do ano. Em 2023, a estação foi marcada por menos registros de chuvas, devido ao fenômeno El Niño. Ele é caracterizado pelo aquecimento anormal e persistente da superfície do Oceano Pacífico, o que causa alterações na umidade e deixa o ar mais seco, dificultando a formação das chuvas. Neste ano, o fenômeno dá lugar ao La Niña, que funciona basicamente de forma contrária.  Segundo a meteorologista, as temperaturas mais baixas desse inverno vão se concentrar nas regiões sudoeste, oeste, Chapada Diamantina e Vale do São Francisco.  A previsão é de dias mais quentes e noites mais frias. Em Vitória da Conquista, os termômetros poderão chegar a 14ºC, enquanto nas cidades da região da Chapada Diamantina, poderão atingir 15ºC. Nessas regiões, espera-se que as chuvas sejam mais reduzidas na estação, porque elas já estão fora do período chuvoso.

Prefeitura de Tanhaçu promove amanhã roda de sanfoneiros na vila junina na praça

Prefeitura de Tanhaçu promove amanhã roda de sanfoneiros na vila junina na praça

  • 20.Jun.2024 - 15h34

A prefeitura de Tanhaçu promove amanhã dia 21/06 às 10 horas a roda de Sanfoneiro na vila junina na praça, um evento voltado à festa Junina. Venha se divertir e aproveitar a música animada! A diversão está garantida para toda a família! Compareça e participe deste evento especial promovido pela prefeitura.  Venha celebrar as tradições juninas locais e aproveitar o melhor da cultura da nossa cidade. Não perca esta oportunidade única de se envolver com a cultura e as raízes de Tanhaçu.

Trabalhadores baianos são resgatados em trabalho análogo a escravidão em MG

Trabalhadores baianos são resgatados em trabalho análogo a escravidão em MG

  • 20.Jun.2024 - 15h02

Cinco trabalhadores foram resgatados em condição de trabalho análogo a escravidão pela Inspeção do Trabalho em uma fazenda localizada em Alpinópolis,município de Minas Gerais, no último dia 14 de junho. Os trabalhadores receberam  uma verba rescisória de R$43.532,00, pagos pelo empregador após mediação realizada pela auditoria fiscal do Trabalho. Além das indenizações, todos os trabalhadores receberam também passagens de volta para suas cidades de origem. O resgate foi feito pelo Grupo Especial de Fiscalização Móvel (GEFM), vinculado à Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) do Ministério do Trabalho e Emprego, que também providenciou a emissão e entrega das Guias de Seguro-Desemprego, garantindo o direito dos trabalhadores às três parcelas de um salário-mínimo cada. A operação, iniciada em 11 de junho de 2024, contou com a participação do Ministério Público Federal, do Ministério Público do Trabalho, da Defensoria Pública da União, da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal. De acordo com relatório da fiscalização, os trabalhadores eram provenientes da Bahia e foram encontrados na colheita de café sem carteira assinada ou qualquer vínculo formal. Eles estavam alojados em condições degradantes, ficando quatro deles em um espaço de aproximadamente 20 metros quadrados, contíguo a um curral, configurando a situação de trabalho análogo à escravidão.  A água utilizada pelos trabalhadores era proveniente de minas subterrâneas e sem qualquer processo de purificação, sendo armazenada em condições precárias. Somado a isso, os alojamentos apresentavam instalações elétricas desprotegidas, representando riscos de acidentes. Na mesma operação, o GEFM fiscalizou outros três estabelecimentos nos municípios mineiros de Juruaia, Botelhos e Machado, encontrando mais de 90 trabalhadores em situação irregular, sem vínculo formalizado, mas em situações que não configuraram condições análogas à escravidão. As irregularidades trabalhistas encontradas resultarão na lavratura de aproximadamente 60 autos de infração.‌ Flagrantes de trabalho análogo ao de escravo podem ser denunciados anonimamente pelo Sistema Ipê (https://ipe.sit.trabalho.gov.br/#!/), da Secretaria de Inspeção do Trabalho, que reforça o compromisso do GEFM e das autoridades brasileiras na erradicação do trabalho escravo, assegurando condições dignas de trabalho e vida para todos.

Salário médio dos baianos era sexto menor do Brasil em 2022, aponta IBGE

Salário médio dos baianos era sexto menor do Brasil em 2022, aponta IBGE

  • 20.Jun.2024 - 11h52

A Bahia tinha o sétimo maior contingente de unidades locais de empresas formais e de funcionários assalariados do Brasil em 2022. Por outro lado, a média salarial dos trabalhadores era de R$ 2.839,60, a sexta menor do país. O pagamento ficou abaixo da média nacional, de R$ 3.542,19 à época. As informações são do Cadastro Central de Empresas (Cempre), atualizado anualmente e divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (20). Confira os números:469.986 unidades locais de empresas formais ativas na Bahia2.978.368 pessoas ocupadas, sendo 549.064 como proprietárias ou sócias e 2.429.304 como empregadas assalariadas. O estudo mostra que, no quesito salário, os nove estados do Nordeste ocupavam as piores posições. O pior cenário é o da Paraíba, com média de R$ 2.636,51. As remunerações eram maiores no Distrito Federal (R$ 5.902,12), no Centro-oeste brasileiro, no Amapá (R$ 4.190,94), na região Norte, e em São Paulo (R$ 4.147,84), no Sudeste.  Na divisão por área de trabalho, é possível observar que atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados registraram a maior remuneração média mensal na Bahia. O setor, que empregava 24.427 pessoas, tinha salário médio de R$ 7.171,73. Na outra ponta, estava o setor de atividades administrativas e serviços complementares, com o menor salário médio, de R$ 1.659,99.

Cuidados com fogos no São João da Bahia: prevenindo incêndios florestais e protegendo a fauna e a flora

Cuidados com fogos no São João da Bahia: prevenindo incêndios florestais e protegendo a fauna e a flora

  • 20.Jun.2024 - 09h24

O São João é uma das festas mais aguardadas e celebradas na Bahia. Neste período festivo, o uso de fogos de artifício é uma tradição muito apreciada. Contudo, para garantir uma festa segura e sustentável, o Governo da Bahia, por meio do programa Bahia Sem Fogo, alerta para a importância de cuidados essenciais para evitar incêndios florestais e proteger a fauna local. O aumento do uso de fogos de artifício durante os festejos juninos, segundo o coordenador do Programa na Secretaria do Meio Ambiente (Sema), Pablo Rebelo, intensifica os riscos de ocorrência de incêndios florestais nas regiões mais secas. “Fagulhas podem atingir áreas de vegetação seca, iniciando focos de incêndio que podem se espalhar rapidamente, causando danos irreparáveis à flora e fauna local. Então, a orientação é respeitar as áreas naturais e manter os fogos de artifício longe desses locais”. Pablo complementa dizendo que esse, inclusive, foi um dos principais assuntos destacados durante a Caravana Bahia Sem Fogo, uma das medidas de prevenção iniciadas no ano de 2024 pelo Governo do Estado, que visa fortalecer a atuação conjunta dos poderes públicos, comunidades locais e brigadistas voluntários, na prevenção aos incêndios florestais em todo o estado. Para além dos incêndios florestais e fauna silvestre, os fogos de artifício também afetam os animais domésticos, causando estresse e desorientação devido ao barulho intenso. Nesses casos, o ideal é mantê-los em locais seguros e fechados durante a queima de fogos, além de utilizar música ou televisão para abafar os ruídos externos.

Dados do IBGE apontam liderança da Bahia no turismo nacional, de janeiro a abril deste ano

Dados do IBGE apontam liderança da Bahia no turismo nacional, de janeiro a abril deste ano

  • 19.Jun.2024 - 16h51

O destino Bahia segue em rota de crescimento no volume das atividades turísticas desenvolvidas no país, quadro que vem sendo registrado desde 2021, superando a média nacional. No último levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de janeiro a abril deste ano, o movimento no turismo baiano cresceu 12%, enquanto o Brasil registrou aumento de 1,4%. A Bahia lidera o ranking de crescimento entre as unidades da Federação. No período, o estado teve aumento de 22% na receita do setor; no país, a receita cresceu 9,7%; e dos empregos formais gerados na Bahia, 6,9% foram em serviços turísticos. Os dados do IBGE estão em sintonia com os números da Secretaria de Turismo do Estado (Setur-BA), relacionados à circulação de visitantes. No primeiro quadrimestre de 2024, o movimento nos aeroportos baianos aumentou 4,7%, em comparação com o mesmo período de 2019 (pré-pandemia). Seguindo o comparativo, as praças de pedágios tiveram um incremento de 8,4%. O titular da Setur-BA, Maurício Bacelar, credita os bons resultados às ações do governo baiano em áreas estratégicas, que têm a contribuição da União, de prefeituras, da iniciativa privada e de entidades sociais: “é um grande conjunto de ações, que envolve promoção, capacitação, qualificação, infraestrutura e sustentabilidade, sempre mantendo diálogo com o Governo Federal, os municípios, o trade turístico e outros agentes. Esse trabalho estratégico tem mantido a Bahia na liderança do turismo nacional. Importante verificar que o crescimento é registrado tanto no volume das atividades, quanto na receita. Isso significa que o turista está gastando mais em território baiano, o que reflete na geração de mais emprego e renda para a população”.

Lideranças criminosas têm mandados cumpridos no Complexo de Bangu no Rio de Janeiro

Lideranças criminosas têm mandados cumpridos no Complexo de Bangu no Rio de Janeiro

  • 19.Jun.2024 - 15h16

A 13ª fase da Operação Unum Corpus chegou ao final do dia com 502 prisões, nesta terça-feira (18). Entre os 338 mandados cumpridos, 54 foram em unidades prisionais da Bahia e em outros estados brasileiros. Dois deles, no Complexo de Bangu, no Rio de Janeiro, e três em Uberlândia, em Minas Gerais. Os alvos das medidas judiciais são acusados de ordenar a execução de rivais e outras pessoas no município de Teixeira de Freitas e regiões circunvizinhas.

Um dos principais objetivos da 13ª fase da Operação Unum Corpus, realizada pelo Departamento de Polícia do Interior (Depin), e que nesta edição teve a participação do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom), foi neutralizar as ações criminosas coordenadas de dentro de unidades prisionais.

Os mandados de prisão em presídios foram cumpridos também nos estados do Espírito Santo e Rio Grande do Sul, além dos municípios baianos de Feira de Santana, Santo Antônio de Jesus, Jequié, Itabuna, Juazeiro, Eunápolis e Teixeira de Freitas.

A diretora do Depin, delegada Rogéria Araújo, destacou a importância de cada resultado. “Essa união de esforços da Polícia Civil, além de neutralizar atividades criminosas, reúne elementos que contribuem significativamente para o avanço de investigações e consequentemente subsidiar novas fases da operação”, avaliou.

Entre as 502 prisões realizadas no curso da operação, 159 foram por crimes contra a vida, 121 por tráfico de drogas, 79 por furtos e roubos, 56 por estupro e 47 por violência doméstica. A Operação Unum Corpus teve início em 2021 e ao longo das 12 fases já prendeu 2.502 pessoas, apreendeu 414 armas de fogo e mais de 750 quilos de entorpecentes.

São João de Barra da Estiva começa nesta quinta-feira, confira quem toca em cada dia de festa

São João de Barra da Estiva começa nesta quinta-feira, confira quem toca em cada dia de festa

  • 19.Jun.2024 - 11h40

O mais tradicional São João da Chapada Diamantina já tem programação completa definida. O 34º São João quente na terra do frio, em Barra da Estiva, terá início já na quinta-feira (20), com o tradicional concurso de quadrilhas, logo após, apresentações musicais de Gencio do Acordem, Ciel Rocha e Wesley Barbosa. Na sexta-feira (21), se apresentam Batista Lima, Kassaca de Kouro e Cleiton e Camargo. Haverá ainda apresentações no palco alternativo, denominado de Dominguinhos.  No sábado (22), se apresentam no palco Gonzagão, Caviar com Rapadura, Maike José e Robertinha, no Dominguinhos tocam Danylo oliveira, Forró Chapada, Adelson Rocha e Ricardo Vokal. No domingo se apresentam Frank Aguiar, Chega Mais e Busão das Antigas. No palco alternativo, shows com Sensação A3, Banda Autonomia e Bahia Express. Na segunda-feira, para se despedir dos festejos juninos, se apresentam Coração Cigano, Lauro Bonde, Gatinha Manhosa, Rick Franco. Já no palco Dominguinhos, terá apresentações de Pancadão Hits, Sempre do Nosso Jeito, e João Medeiros. 

São João de Barra da Estiva começa nesta quinta-feira, confira quem toca em cada dia de festa
São João de Barra da Estiva começa nesta quinta-feira, confira quem toca em cada dia de festa
São João de Barra da Estiva começa nesta quinta-feira, confira quem toca em cada dia de festa
São João de Barra da Estiva começa nesta quinta-feira, confira quem toca em cada dia de festa